Embu é um município brasileiro do estado de São Paulo, pertencente à Região Metropolitana da capital paulista e à microrregião da cidade de Itapecerica da Serra. A população estimada em 2009 era de 248 722 habitantes, e a área é de 70,1 km² (densidade demográfica 3 508,3 habkm²). É considerado oficialmente uma Estância turística, também sendo conhecido como Embu das Artes.

Sua história curiosa lhe trouxe uma especialização contemporânea imprevista ser uma cidade especialmente vocacionada para acolher artistas. Isto aporta dividendos turísticos à cidade.

Estância turística

A Cidade Embu é um dos 29 municípios paulistas considerados estâncias turísticas pelo Estado de São Paulo, por cumprirem determinados pré-requisitos definidos por Lei Estadual. Tal status garante a esses municípios uma verba maior por parte do Estado para a promoção do turismo regional. Também, o município adquire o direito de agregar junto a seu nome o título de Estância Turística, termo pelo qual passa a ser designado tanto pelo expediente municipal oficial quanto pelas referências estaduais.

Artes

A vocação artística da cidade começou a projetar-se em 1937, quando Cássio M’Boy, santeiro de Embu, ganhou o Primeiro Grande Prêmio na Exposição Internacional de Artes Técnicas em Paris. Já antes, no entanto, Cássio foi professor de vários artistas e recebia em sua casa expoentes do Movimento Modernista de 1922 e das artes em São Paulo, incluindo Anita Malfatti, Tarsila do Amaral, Oswald de Andrade, Menotti Del Picchia, Alfredo Volpi e Yoshiya Takaoka.

A Cássio M’Boy, seguiu-se Sakai de Embu, que começou por ser discípulo de Cássio e veio a ser reconhecido internacionalmente como um dos grandes ceramistas-escultores brasileiros. Sakai forma um grupo de artistas plásticos ao qual pertence Solano Trindade.

Este chegou a Embu em 1962 e trouxe, consigo, a cultura negra, congregando um grupo de artistas em seu redor e introduzindo a tradição dos orixás.

A tradição artística da cidade institucionaliza-se e ganha projecção dentro e fora do Brasil em 1964, com o Primeiro Salão das Artes. Paralelamente, a partir dos finais dos anos 1960, a cidade passou a ser polo de atração para hippies, que expunham os seus trabalhos de artesanato nos finais de semana, dando origem à Feira de Artes e Artesanato, que se realiza todos os fins de semana desde 1969 e que é um dos principais motores da projeção turística da cidade.

Transportes

O cidade é servida de redes rodoviárias. A malha prevê as ligações da cidade com a capital e demais municípios da sub-região. Composta por rodovias, vias arteriais urbanas e estradas (municipais/estaduais), tem a principal dentre essas vias a BR116 – Rodovia Régis Bittencourt, e o Rodoanel Mário Covas, que interliga o municipio a diversas àreas da Grande São Paulo.

Vídeo Embu das Artes

Mapa Embu das Artes